Diferenças entre terçol e calázio

25 outubro, 2020     Nenhum comentário     tech_4dmin

Algumas doenças oculares têm sintomas tão parecidos que acabam sendo confundidas entre si. Isso pode ser um perigo na hora de tratar, já que cada patologia requer medicação e cuidados diferenciados.

Esse é o caso do terçol e calázio, doenças oftalmológicas que causam inchaço, ferida incômoda nas pálpebras, vermelhidão, sensibilidade à luz e dor ao movimentar o globo ocular.

Apesar da semelhança, elas são provenientes de causas distintas. O terçol é uma lesão infecciosa, provocada por bactérias, sendo bem conhecida. Já o calázio surge de um processo inflamatório que provoca a obstrução do canal de saída da glândula sebácea.

Características do terçol e calázio

Frequentemente confundido com o terçol, o calázio é uma lesão da pálpebra que ocorre a partir de uma inflamação da glândula de meibômio – aquela responsável pela produção do líquido que lubrifica os olhos, chamado de secreção sebácea, localizado atrás dos cílios.

Quando ocorre uma inflamação nessa região, a saída de secreção é obstruída e, assim, é formado um nódulo no local. Seus principais sintomas incluem, além do inchaço na região da pálpebra, vermelhidão e sensibilidade nos olhos.

Na maioria dos casos, o calázio é resolvido de maneira espontânea, a partir do uso de compressas quentes duas ou três vezes ao dia, de cinco a dez minutos. Mas, se os sintomas persistirem, é possível realizar uma cirurgia para desobstruir a glândula.

Já o terçol surge mais próximo ao cílio, mais precisamente na borda da pálpebra e apresenta incômodos mais acentuados que o calázio.

Contudo, a evolução das duas patologias é bem parecida. Geralmente, em ambas, os sintomas começam a desaparecer de dois ou três dias após o surgimento.

Como tratar terçol e calázio

Tanto o terçol quanto o calázio não devem ser motivos de preocupação – mas é sempre bom buscar ajuda oftalmológica para aliviar o desconforto. Nesse contexto, valem algumas recomendações se uma dessas condições surgir:

Não se automedique

Basta o olho inchar e aparecer uma bolinha na parte inferior ou superior dos cílios que alguém vem logo com um remedinho ou alguma solução caseira para passar na área afetada. Por causa do desconforto, muitas pessoas acabam aceitando a automedicação.

Porém, muito calma nessa hora!

Sabe aquele colírio que garantiu ótimos resultados na sua irmã, vizinha ou amigo? É mais provável que ele não seja indicado para você. E aquela compressa com ervas que falaram que era tiro e queda? Esqueça. Nesse caso, ela pode fazer mais mal do que bem.

O uso de qualquer medicamento, por mais que pareça inofensivo pode piorar ainda mais a inflamação, trazendo, inclusive, outras complicações. Na dúvida, sempre procure um especialista.

Compressa com água morna

Sim, as compressas com água morna são recomendadas para as duas situações. Essa aplicação é muito importante pois auxilia na drenagem do líquido e ameniza o desconforto.

No caso do calázio é opcional o uso de pomadas, corticoides ou antibióticos. Mas, em relação ao terçol, o médico pode prescrever algum medicamento.

Cirurgia para desobstruir o duto

Em se tratando de calázio, existe a possibilidade de surgir um nódulo cronicamente inflamado, caso uma glândula mais profunda seja atingida. Caso isso ocorra, o problema pode voltar outras vezes.

Para repetições frequentes, existe a possibilidade de uma cirurgia para a desobstrução do duto e retirada do calázio. Tudo vai depender da avaliação do médico.

Outros cuidados importantes

Calázio e terçol não são graves e nem se pega através de contato, porém existem algumas precauções para evitar que o problema fique pior:

  • Evite coçar ou passar a mão suja na região afetada;
  • Jamais pressione ou tente estourar o nódulo. Ele vai sumir espontaneamente;
  • Maquiagem ou creme na região dos olhos? Esqueça. Esses produtos vão entupir ainda mais o duto;
  • Prefira não usar lentes de contato. Elas aumentam o desconforto e as secreções podem infectar o material e trazer vários outros problemas.

Outro ponto de extrema relevância é a procura por um médico oftalmologista para avaliação, diagnóstico e prescrição de medicamentos.

Como já dissemos, nenhuma das doenças é grave, mas, por exemplo, se o terçol não for tratado, corre o risco de provocar uma outra inflamação ocular chamada “celulite”. Nesse caso, pode ser que necessite, inclusive, de antibiótico via oral.

Há como evitar o terçol e o calázio?

Por mais que a pessoa se cuide, não há como evitar totalmente as duas doenças, mas existem algumas ações preventivas que minimizam as chances de contrair terçol e calázio.

Na verdade, estamos falando de algumas mudanças de hábitos, como lavar as mãos mais vezes ao dia, evitar o excesso de oleosidade na pele, deixando-a sempre limpa e visitar o oftalmologista regularmente.

O corpo clínico do COA está à disposição para tirar dúvidas e recomendar o melhor tratamento para terçol e calázio. Para agendar uma consulta com nossos oftalmologistas, entre em contato com a nossa equipe pelo site ou pelo telefone (31) 3241.6347.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dezessete =

Cadastre-se em nossa newsletter