Ceratite Microbiana e lentes de contato: entenda a relação

03 fevereiro, 2022     Nenhum comentário     tech_4dmin

Ceratite Microbiana é uma doença ocular caracterizada pela inflamação da córnea, tecido transparente localizado na parte da frente do olho e comparado a um vidro de relógio.

De natureza infecciosa, a Ceratite Microbiana pode ser causada por bactérias, fungos, vírus e protozoários. Ela é considerada grave e a situação pode piorar rapidamente caso não seja tratada. Nesse caso, existe o risco de perfuração, em que a doença se espalha para outras áreas dos olhos, levando à diminuição ou perda total da visão.

Os principais sintomas da Ceratite são olhos vermelhos, dor intensa, sensibilidade forte à luz, sensação de cisco, lacrimejamento e visão embaçada. Ou seja, ela pode se parecer muito com outros tipos de doença ou simples desconforto ocular, o que torna ainda mais essencial a avaliação de um oftalmologista, para que o tratamento seja adequado.

As causas para a infecção das córneas estão, em sua maioria, muito ligadas à questão de higiene. Em outras palavras, é mais fácil que a Ceratite Microbiana atinja pessoas que levam a mão suja ao rosto, coçam frequentemente os olhos e usam lentes de contato sem o devido cuidado.

Por que a lente de contato aumenta o risco de infecção?

A lente de contato é uma forma segura e eficiente de corrigir refrações, desde que usada de maneira correta. Acontece que o desgaste e o cuidado inadequado do produto podem causar infecções oculares, levando a lesões mais sérias e permanentes.

Quem utiliza lentes de contato deve seguir rigorosamente as recomendações do médico sobre a higienização e manutenção da lente corretiva, já que o uso inadequado propicia o surgimento de úlceras na córnea, conjuntivites e traumas na região ocular.

De maneira geral, o uso prolongado de lentes de contato está associado a um aumento nos casos de Ceratite Microbiana, já que aumenta a probabilidade de infecções fúngicas. Essas ocorrem devido ao contato com poluição, fumaça e poeira.

Porém, outros fatores também motivam o aumento de risco de infecção, como:

  • Contaminação do estojo e soluções de desinfecção;
  • Obtenção de lentes de contato sem orientação médica e de marcas pouco confiáveis;
  • Tabagismo, olho seco, blefarite (inflamação nas pálpebras), diminuição da sensibilidade corneana, uso de corticoides, quimioterapia e baixa imunidade;
  • Manutenção inadequada e uso impróprio das lentes de contato.

A maioria dos usuários de lentes de contato costuma ter hábitos que colocam a saúde ocular em risco: reutilizar a solução de limpeza, utilizar soro fisiológico para guardar as lentes, não trocar o estojo em 3 meses e tomar banho com as lentes de contato, entre outros.

Tratamento da Ceratite Microbiana

Assim como qualquer doença ocular, o tratamento da Ceratite Microbiana vai depender de sua causa, ou seja, se a enfermidade foi desencadeada por bactéria, fungo ou ameba. Assim, o oftalmologista pode prescrever com segurança a medicação adequada para combater o micro-organismo – que pode, inclusive, variar conforme o tamanho, profundidade da lesão, localização e evolução do quadro.

Geralmente as terapias são de uso tópico, com a aplicação de um ou mais colírios de maior concentração. Em casos graves, a intervenção cirúrgica e o transplante de córnea podem ser necessários.

Se você usa lentes de contato, esteja atento aos cuidados e higienização do produto, faça suas consultas periódicas ao oftalmologista e, em caso de qualquer sintoma, procure um dos especialistas do COA.

Estamos preparados para tirar todas as suas dúvidas, fazer avaliação completa e orientar o melhor tratamento para a Ceratite Microbiana. Agende sua consulta com a gente!

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + vinte =

Cadastre-se em nossa newsletter