Como a blefarite afeta os olhos

24 junho, 2020     Nenhum comentário     tech_4dmin

Você sabe o que é blefarite e como ela afeta os olhos? Trata-se de uma inflamação muito comum nas pálpebras, próximo à região onde crescem os cílios. Ela causa coceira, deixa a área mais avermelhada e irritada.

Ela é uma doença recorrente, que pode acontecer em todas as idades, mas não causa danos permanentes à visão.

Apesar disso, causa um desconforto grande e o ato de coçar pode ser um vetor para a entrada de sujeiras e bactérias nos olhos.

Ou seja, é hora de entender como a blefarite afeta os olhos, pode ser evitada ou tratada, certo? Fique de olho nas nossas dicas.

Quais são os principais diagnósticos de blefarite?

A blefarite é diagnosticada na consulta com o oftalmologista e pode ser classificada como anterior, quando acomete a borda da pálpebra onde os cílios se conectam e, posterior, afetando a parte interior da mesma região.

Nessa última classificação, a pálpebra inflamada entre em contato com o globo ocular.

O que pode causar a blefarite?

As causas do aparecimento da blefarite não são claras e, como consequência, as glândulas Meibomius, responsável pela lubrificação dos olhos, começam a produzir mais muco e gorduras.

Em situação normal esses elementos ajudam a aprisionar poeiras, objetos estranhos e também impedem que a lágrima, que é a parte mais líquida da produção da glândula Melbomius evapore mais rápido.

Porém, identificando elementos estranhos como é o caso da inflamação da blefarite, a produção de muco e gordura aumentam, deixando como resultado o olho com masi remela ou, ramela.

É bom lebrar que o efeito dessa situação gera a irritação, coceira e a consequentemente inflamação da pálpebra, mas, nem sempre ela é perceptível para os pacientes, apenas suas consequências, o aumento de remela.

Existem doenças ou condições associadas?

Algumas situações de saúde podem contribuir para o aparecimento de blefarites, entre elas, a dermatite seborreica, que é a caspa que surge no couro cabeludo e sobrancelha, infecções bacterianas, alergias, ácaros, piolho de cílios e até mesmo o uso de alguns medicamentos para o tratamento de acne.

As blefarites anteriores acontecem com mais frequência pela relação com o mundo externo, como a presença de ácaros na casa, piolhos ou caspa nas sobrancelhas.

Já as blefarites posteriores são mais comuns em doenças bacterianas, como é o caso das conjuntivites.

Além disso, pessoas com a pele mais oleosa, que possuem olhos ressecados ou precisam tratar problemas de caspas podem ter episódios de blefarite com mais recularidade.

Quais os principais sintomas?

Entre os principais sintomas, inclusive alguns já mencionados anteriormente, podemos listar:

  • sensação de areia ou queimação dentro do olhos;
  • lacrimejamento;
  • fotofobia ou sensibilidade a luz;
  • piscadas frequentes;
  • pálpebras inchadas;
  • cílios grudados ao acordar;
  • vermelhidão nos olhos;
  • crescimento anormal ou perda de cílios.

A perda de cílios, inclusive, pode se agravar e colocar a saúde e proteção dos olhos em risco. Por isso, se você tem algum desses sintomas, é muito importante consultar um oftalmologista.

A blefarite, apesar de não ser muito grave, pode ser a abertura para outras doenças e irritações oculares, não é mesmo? Então, agende um horário com um especialista do Centro de Oftalmologia Avançada.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =

Cadastre-se em nossa newsletter