Conheça o linfoma intraocular, tipo de câncer que afeta saúde ocular

15 setembro, 2021     Nenhum comentário     TWM

Quando pensamos na saúde ocular, provavelmente os temas que vem à mente são doenças como miopia e astigmatismo. Entretanto, nossos olhos estão expostos a riscos muito mais perigosos, como o linfoma intraocular.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), na população mundial cerca de 70% das pessoas não sabem o que são linfomas e os tipos de câncer que acometem o sistema linfático ou imunológico.

No dia 15 de setembro, é celebrado o Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas. Essa data é um momento que destaca a importância de conhecer os tipos de câncer associados a esse sistema, dentre eles, o linfoma intraocular.

Um tipo de câncer que afeta o sistema de defesa do corpo, o linfoma pode ocorrer em diferentes partes do nosso organismo. Os gânglios linfáticos do pescoço, das axilas e do tórax, por exemplo, podem ser afetados pela doença.

Os principais tipos de linfomas estão ligados a dois grupos: o não-Hodgkin e o Hodgkin. Cada um desses grupos da doença apresenta comportamentos e graus de agressividade diferentes.

O subtipo de linfoma que afeta os olhos é o não-Hodgkin (LNH). Ele pode surgir na própria região do olho, como também ser uma evolução do linfoma que está atingindo outros locais.

Como o linfoma intraocular afeta a visão

Esse tipo de câncer atinge idosos e pessoas com problemas imunológicos, como portadores da síndrome da imunodeficiência adquirida, a AIDS. Diferente de outros tipos de linfoma, a doença apresenta sintomas específicos.

Ao contrário dos tipos sistêmicos, que causa suor noturno, perda de peso e aumento do baço, o linfoma intraocular se manifesta de outras formas. Os sintomas da doença estão ligados diretamente ao local do linfoma, nesse caso, a saúde ocular.

Por isso, as alterações ligadas a esse tipo de câncer são visuais, como a visão embaçada e até a perda desse sentido. Outros sinais de alerta são a sensibilidade à luz, inchaço no local e vermelhidão.

Pacientes que fazem o tratamento de linfoma intraocular não possuem riscos de perder a visão em si. Entretanto, dependendo do procedimento adotado para o caso, o paciente pode ter efeitos colaterais.

No tratamento com radioterapia, a pessoa tem mais chances de desenvolver glaucoma ou catarata. Dessa forma, pode acontecer a perda parcial ou total da visão.

Em alguns casos, há também pacientes que relatam uma sensação de pressão no olho. Além disso, é comum que esses incômodos aconteçam em ambos os olhos. Por ser sintomas relativamente comuns, o diagnóstico da doença pode demorar.

Por isso, é importante consultar com um oftalmologista. O profissional  será responsável por analisar os sintomas e, a partir disso, indicar os exames e procedimentos necessários para o diagnóstico.

Quais são os tratamentos para o linfoma?

A terapia utilizada para esse tipo de câncer possui variações que estão relacionadas à gravidade do tumor e o subtipo da doença. Com isso, o tratamento pode envolver desde sessões de quimioterapia a radioterapia de alta ou baixa intensidade.

Pacientes que apresentam o linfoma de zona marginal, por exemplo, possuem na maioria dos casos apenas um dos olhos afetados. Para esse subtipo, o tratamento que pode ser adotado envolve radioterapia de baixa intensidade associado ao anticorpo monoclonal.

Por outro lado, existem tipos da doença que podem ser mais agressivos. Com isso, o tratamento adotado é mais complexo. No caso de linfomas sistêmicos, que atingem os olhos, o procedimento envolve o uso de técnicas já utilizadas no tratamento de câncer.

Dessa forma, não existe um tratamento único para a doença. Cada caso precisa ser avaliado para, depois disso, ser avaliado qual procedimento trará bons resultados para a saúde do paciente.

Existe alguma forma de prevenção?

Até o momento, os avanços nas pesquisas científicas não encontraram quais fatores aumentam o risco de aparecimento de linfoma intraocular. Por isso, não existem orientações específicas para evitar a doença.

Dessa forma, as recomendações que existem estão ligadas a instruções mais gerais para os linfomas. Por ser uma doença que aumenta os riscos com a idade, pessoas idosas devem estar atentas aos sintomas.

Outra forma de prevenção indicada é evitar a exposição prolongadas a alguns produtos químicos. Esse cuidado deve ser ainda maior com produtos agrícolas.

Pacientes infectados com vírus HIV e HTLV, possuem mais chances de desenvolver algum tipo de linfoma. Por isso, é importante prestar atenção aos sintomas.

Uma prática importante é o autoexame frequente. Se perceber qualquer alteração no corpo, é importante procurar o auxílio médico. No caso do linfoma intraocular, é recomendado consultar com um oftalmologista de forma regular, a cada seis meses.

Para quem não está com os cuidados da visão em dia, é fundamental procurar um especialista. No Centro Oftalmológico Avançado, você encontra profissionais qualificados para te atender. Faça o agendamento da sua consulta!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − 6 =

Cadastre-se em nossa newsletter