Obesidade e problemas oculares: entenda essa relação 

01 março, 2021     Nenhum comentário     tech_4dmin

A obesidade é um problema sério de saúde enfrentado por países do mundo inteiro, sendo fator de risco para o desenvolvimento de diversas doenças, como pressão alta e diabetes. Foi pensando nisso que organizações de saúde instituíram o 4 de março como o Dia Mundial da Obesidade.

A iniciativa é uma forma de conscientizar a população sobre essa doença que vem crescendo assustadoramente. No Brasil, a obesidade crônica aumentou 67,8% nos últimos treze anos. A Organização Mundial de Saúde estima que, em 2025, serão 2,3 bilhões de adultos no mundo acima do peso, dentre os quais 700 milhões com obesidade.

De maneira geral, as taxas de obesidade triplicaram desde 1975, afetando indiscriminadamente pessoas de todas as idades e grupos sociais. O problema do excesso de gordura corporal não é estético, mas orgânico: acarreta uma série de enfermidades, como hipertensão, diabetes, câncer, aumento no nível de colesterol e problemas oculares.

Como a obesidade afeta a saúde ocular

Pode não parecer, mas o aumento de peso interfere diretamente na saúde dos olhos, como no surgimento de problemas de fundo do olho por hipertensão. O diabetes, por sua vez, altera os vasos sanguíneos da retina, levando à retinopatia diabética. Essa condição, se não for tratada a tempo, pode causar cegueira irreversível.

É verdade que pessoas sem obesidade também podem ser hipertensas e diabéticas, mas na condição de sobrepeso o risco de desenvolvimento dessas comorbidades aumenta consideravelmente. Pessoas obesas também diminuem a capacidade de combater os radicais livres, substâncias que dificultam a regeneração das células. Ou seja, quanto mais gordura, maior a possibilidade de essas moléculas atacarem células sadias, proteínas, lipídios e DNA.

O crescimento de radicais livres provocado pela obesidade danifica as células da retina sensíveis à luz, aumentando o risco de degeneração macular seca, doença que causa perda progressiva da visão. Os radicais livres também antecipam o embaçamento do cristalino, sintoma característico da catarata.

Existe tratamento para as doenças oculares oriundas da obesidade?

Prevenir é sempre o melhor remédio. Essa é a nossa orientação. Acontece que muitas doenças oculares passam despercebidas, e o indivíduo só vai se dar conta da sua existência quando sua condição está mais avançada.

A visita regular ao oftalmologista ajuda não só a diagnosticar problemas de visão, como até descobrir se o paciente tem diabetes ou pressão alta, através do exame de fundo de olho. Ele tem a finalidade de inspecionar as estruturas oculares, inclusive alterações das artérias e veias, responsáveis por fornecer informações clínicas que indicam enfermidades físicas e oftalmológicas.

Como a obesidade é uma condição com múltiplas causas, é fundamental um tratamento em várias frentes, com o auxílio de clínico geral, nutricionista, psicólogo e, também, do oftalmologista. A indicação geral é procurar uma vida mais saudável, fazer exercícios físicos, contar com alimentação balanceada e muita hidratação.

Não adianta seguir dietas malucas ou a que foi prescrita a um parente ou amigo. Cada caso é um caso! Pode acontecer, inclusive, de os exames clínicos de uma pessoa obesa estarem dentro dos valores de referência, enquanto os de uma pessoa sem sobrepeso se mostrarem complicados, justamente por causa dos hábitos de vida.

Para tirar as dúvidas e se certificar de que está tudo bem, procure ajuda profissional e cuide da sua saúde!

Aqui no COA nós fazemos a nossa parte, que é cuidar da visão. Nossos especialistas estão à disposição para conversar, tirar dúvidas, fazer exames e receitar medicamentos oftalmológicos quando necessário.

Entre em contato com a gente e marque sua consulta.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − catorze =

Cadastre-se em nossa newsletter