Diagnóstico oftalmológico precoce aumenta a eficácia dos tratamentos

31 agosto, 2018     Nenhum comentário     tech_4dmin

Muitas pessoas não dão tanta importância à visão quanto deveriam. Durante todos os anos vemos pacientes fazendo suas consultas de rotina com outras especialidades e deixando o diagnóstico oftalmológico para segundo plano.

Essa informação é confirmada através de uma pesquisa feita pelo Ibope que diz que um terço da população do Brasil, com mais de 16 anos, nunca foi ao oftalmologista. A ausência dos pacientes nos consultórios dificulta não só um diagnóstico oftalmológico mas, também, a identificação de doenças graves que se manifestam através dos olhos.

É por isso que, mesmo com a inexistência de qualquer disfunção ocular, o indivíduo deve ir ao oftalmologista uma vez por ano, uma vez que exames simples, como o fundo de olho, pode revelar problemas como diabetes, hipertensão arterial, tumor cerebral e até mesmo lúpus.

A importância do exame de fundo de olho

O exame de fundo de olho é fundamental para a prevenção de doenças. Ele permite a visualização direta dos vasos e artérias sem “invadir” o olho. Quando a pessoa está com a pressão arterial alta, os vasos ficam contraídos, muitas vezes com estreitamentos e formato tortuoso, podendo conter também pequenas hemorragias.

Doenças como diabetes e hipertensão, quando identificadas pelos olhos, estão em estágio mais avançado. Dessa forma, o exame de fundo de olho se faz necessário tanto para o diagnóstico quanto para o acompanhamento clínico.

Na maioria das vezes, as doenças são silenciosas. Os sintomas só aparecem quando a enfermidade avança, fazendo a pessoa sentir dores de cabeça ou nos olhos, por exemplo.

Problemas oculares acontecem em qualquer idade, por isso é fundamental prestar atenção aos sinais. Algumas condições podem ter consequências graves, como a perda da visão.

Conheça cinco sinais nos olhos que podem indicar um problema maior – e, na presença de algum deles, procure seu médico para um diagnóstico oftalmológico.

1 – Visão embaçada

A visão embaçada é um dos sintomas visuais mais comuns. É aquela sensação de névoa nos olhos que nos impede de ver os detalhes com clareza. Pode ser indício de diversas doenças oculares, como catarata, presbiopia (vista cansada), glaucoma, degeneração macular relacionada à idade e outras de ordem fisiológica.

2 – Manchas na visão

Existem vários tipos de manchas na visão que apenas um diagnóstico oftalmológico pode identificar. Se você enxerga pontos pretos dançando no seu campo de visão, o nome correto disso é “moscas volantes” (sensação de insetos voando diante dos olhos).

Geralmente são percebidas durante a leitura ou em superfície branca. Vale lembrar que a pessoa não sente dor e as manchas podem aparecer e desaparecer de repente.

Nem sempre as moscas volantes interferem na visão. No entanto, existem casos que podem indicar um descolamento de retina, que quando não tratado, pode culminar na perda da vista.

3 – Olhos vermelhos e lacrimejantes

Olhos marejados e irritados nem sempre são sinais de cansaço ou de noite mal dormida. Podem estar vermelhos por alguma alergia ou provocado por ambiente seco. Porém, pode indicar uma doença chamada ceratite, que consiste na inflamação da córnea.

Os sintomas manifestam-se através de alterações da córnea, que é a estrutura transparente na porção anterior do olho, além de dor, vermelhidão, irritação, sensação de corpo estranho e fotofobia. Essa infecção é comum em países quentes e úmidos, devido à entrada de fungos presente em folhas ou flores, por exemplo. Geralmente afeta pessoas que usam lentes de contato, por isso é importante ter atenção redobrada com a higiene das lentes e lembrar-se de nunca dormir com elas.

O tratamento varia conforme o causador da doença, mas, na maior parte das vezes, são administradas pomadas e colírios, sem necessidade de intervenção cirúrgica.

4 – Visão dupla

Na visão dupla o paciente vê duas imagens em vez de uma, ou seja, um único objeto é captado pelo cérebro como se fossem dois.

Esse problema pode estar relacionado à diferença de grau, estrabismo, catarata, ceratocone ou até mesmo a um problema mais grave, como um AVC ou outras alterações neurológicas. É claro que, se a pessoa nunca teve visão dupla, o melhor a fazer é procurar um hospital, uma vez que o AVC é uma emergência e só um médico neurologista pode apontar o diagnóstico correto.

5 – Dores nos olhos

Se os olhos estão doendo é porque alguma coisa está errada. Os motivos podem ser evidentes, como trauma, sinusite, enxaqueca, mas também podem indicar enfermidades como o glaucoma, doença crônica e progressiva, processos inflamatórios ou lesões corneanas.

Para evitar o avanço de qualquer doença, a recomendação é a visita anual ao oftalmologista, ou na periodicidade necessária por esse médico a cada indivíduo. Assim, é possível realizar um diagnóstico oftalmológico precoce e auxiliar o paciente nas medidas de controle e prevenção.

Vale lembrar que, mesmo em situação de dor ou desconforto visual, é imprescindível ter a prescrição médica para o uso de medicamentos oculares.

Nós, do COA, estamos à disposição para atender você e sua família. Entre em contato e marque sua consulta.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − dez =

Cadastre-se em nossa newsletter